Buscar

Conheça as mentoras do Laboratório de Pitching

Idealizado pelo Festival Ponte Nórdica, Lab tem o objetivo de democratizar acesso a ferramentas e estratégias de financiamento para produções audiovisuais.

Com o tema Diversidade Importa, a Casa Firjan recebe entre os dias 11 e 13/09 mentores da Suécia e do Brasil para capacitar representantes de 10 projetos audiovisuais selecionados através de chamada pública. Laboratório de Mentoria em Pitching, a defesa oral de um projeto ou roteiro para um possível patrocinador, treinará profissionais independentes de diversas áreas do audiovisual e que estejam com um projeto em fase de concepção, com ênfase no apoio a produtores mulheres, LGBTQI+, pessoas negras, indígenas e aquelas que se autodeclaram não brancas, que representam minoria no acesso aos financiamentos, para realizações de obras audiovisuais no Brasil.


“É uma oportunidade incrível de aprendizado para quem tem um roteiro de filme, série ou programa de TV mas tem dificuldade de vendê-lo. Essa imersão trará segurança e aprendizado”, destaca Tatiana Groff, coordenaora da atividade e curadora do Festival de Cinema Ponte Nórdica.


Marie Kjellson, produtora cinematográfica da Suécia; Silvana Bahia, diretora do Olabi, organização social com foco em inovação, tecnologia e diversidade, onde coordena a Pretalab e outras iniciativas; Érica de Freitas, criadora e produtora executiva do Visionárias, que oferece curso aprofundado de produção executiva e mentoria à novos profiissionais do mercado; e Tatiana Leite, fundadora da produtora Bubbles Project; serão as profissionais responsáveis pelo treinamento. Conheça abaixo um pouco mais sobre cada uma das convidadas.


Marie Kjellson


Marie Kjellson é uma produtora cinematográfica que estudou na EAVE e no Rotterdam Film

Lab. Ao longo da carreira já participou da produção de vários filmes premiados, incluindo Força Maior, dirigido por Ruben Östlund (Prêmio do Juri, Um Certain Regard, Cannes 2014); Victim Mentality Rhetoric (Prêmio do Público Startsladden, Göteborg Film Festival 2013); e Incident by the Bank (Golden, Berlinale 2010). Marie tem a sua própria empresa de produção, Kjellson & Wik, junto com a diretora Katja Wik. Seu filme mais recente, A Ex-Mulher, de Katja Wik, teve seu lançamento na competição principal do Göteborg Film Festival, em 2016, e foi exibido em festivais de cinema ao redor do mundo, incluindo o Festival de Cinema Internacional de São Paulo. Em 2016, a diretora Katja Wik veio ao Brasil, a convite do Festival Ponte Nórdica, para realizar uma exibição especial do filme A Ex-Mulher, em São Paulo, onde apresentou um corte bruto para um público específico de realizadores, com a finalidade de gerar uma conversa sobre as escolhas técnicas e estéticas da montagem do filme. No Lab, Marie Kjellson vem a convite da Embaixada da Suécia.


Silvana Bahia


Silvana Bahia é diretora do Olabi, organização social com foco em inovação, tecnologia e diversidade, onde coordena a Pretalab e outras iniciativas; pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Políticas e Economia da Informação e da Comunicação do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro; e Mestre em Cultura e Territorialidades pela Universidade Federal Fluminense. Silvana foi a primeira selecionada para o programa Lauttasaari Manor Residency na Finlândia, e durante três meses viveu em Helsinque, colaborando com o projeto Anti-Racism Media Activist Alliance (ARMA). Foi facilitadora da Maratona RodAda Hacker - oficinas de empoderamento feminino em novas tecnologias, coordenou o plano de comunicação do filme KBELA e é colaboradora da plataforma Afroflix. Recebeu o Prêmio Destaques da Cultura Digital: Inovação Social e Tecnologia, concedido pelo Centro Cultural Banco do Brasil e Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ de 2017.


Érica de Freitas


Erica de Freitas é criadora e produtora executiva do Visionárias, que oferece curso aprofundado de produção executiva e mentoria à novos profiissionais do mercado. O projeto parte da urgente pauta de gênero e raça com o objetivo de contribuir para o alcance da equidade na indústria do audiovisual. Sócia-diretora da Encantamento Filmes, Erica é parecerista do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA - ANCINE). Participou de comissões regionais de seleção de projetos para investimento público audiovisual em São Paulo pela SPCINE, em Recife pelo Funcultura, em Belém do Pará pela Funtelpa e no Mato Grosso pela Secretaria de Cultura do Mato Grosso. Também emitiu pareceres pelo Ministério da Cultura, no edital nacional de investimento em novos roteiristas – pela Secretaria do Audiovisual (SAV).A Encantamento Filmes, tem preferência por projetos realizados por mulheres, com atenção especial a produção da mulher negra. A empresa se prepara para o lançamento do documentário “Ioiô de Iaiá” de Paula Braun, distribuído pela Elo Company, seguido do longa metragem de Urânia Munzanzu “Primeiro Beijo”, que será distribuído pela Descoloniza Filmes, todos em 2020. Paralelamente finaliza o longa metragem “Entre nós, um segredo” de Beatriz Seigner, filmado no Mali em 2014. O filme terá distribuição da Vitrine Filmes e é uma coprodução entre a Miríade Filmes e a Encantamento Filmes.


Tatiana Leite


Tatiana Leite criou, em 2012 a produtora Bubbles Project e desde então, vem ministrando workshops como PUENTES (Audiovisual workshop entre empreendedores audiovisuais europeus e latino americanos) do EAVE (European Audiovisual Entrepreneurs) e La Fabrique des Cinémas du Monde (projeto do Institut Français, que seleciona anualmente 10 projetos audiovisuais do mundo, para clínica de desenvolvimento). Esse trabalho foi realizado no Festival de Cannes, em 2013, no Festival de Rotterrdam, em 2014 e no Cinemart (programa do Festival de Rotterdam), que conduz todos os projetos focados na indústria do audiovisual e entre as atividades, seleciona anualmente 15 projetos para clínica aprofundada. Em 2016, participou do BoostNL em Utrecht, Holanda e Rotterdam, produziu os longas-metragens “Aspirantes” de Ives Rosenfeld, “Pendular”, dirigido por Julia Murat e selecionado para Berlinale 2017 e o premiado “Benzinho”, de Gustavo Pizzi. Formada em História da Arte pela Universidade Sorbonne, na França, e em Direito pela PUC-Rio, Tatiana foi coordenadora internacional do Festival do Rio entre 2000 e 2009, onde passou então, a fazer parte do comitê de seleção do Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro – Curta Cinema – até 2011. Ela também fez a curadoria do Open Air Festival no Brasil ,trabalhou como coordenadora da Rio Film Commission e foi assessora internacional da Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro entre 2009 e 2013. No Lab, Tatiana vem a convite do SICAV.

16 visualizações

Embaixada da Suécia

ambassaden.brasilia@gov.se

© 2018

  • Black Twitter Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone YouTube
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now